Monday, September 22, 2008

eu sei que-m- és - por tua sinceridade

Eu não sei mais sobre aproximar-se de suas raízes.
Penso em gerações, em significações, e me resta o amor.
Quase nunca somos sinceros.
(porque voce fala em feminino e eu em masculino?)
Estou sofrendo de um "mal" que achei que nunca ia sofrer. Sinto ciúmes. O sentimento mais burguês e anti-amor do mundo. Como você disse, reacionária.
Ao mesmo tempo, acho que posso provar o amor ao mundo. VIVA A REVOLUÇÃO!
E ao mesmo tempo, a solidão e o medo de abandono que tenho são tão imensos, que não sei como poderia funcionar um arranjo assim, dividir o tempo inteiro em dois-um, dividir tudo em dois-um, dividir-se.
Em um segundo, não há mais o que se justificar.
é sentir-se-o-outro
Como o amor, que é totalmente diferente, mas talvez esse sim, incondicional (existe?), que sinto por vocês.

(É engraçado responderes no feminino e eu, no masculino)


com amor,

eu (sem sexo)