Monday, July 16, 2007

do desanimo

acordei as cinco da tarde outro dia - perdido.

encolho o tempo pra não sentir.
nem ele, ma(i)s nada.

é um sentimento de que tudo se repete exatamente igual. O jeito das pessoas, o jeito do tempo, o jeito do mundo.
E é um jeito viciado que vai cansando.

Talvez eu nem queira fazer tudo isso que acho que quero fazer.

O desanimo tem me invadido, e eu durmo que é pra não vê-lo.

tudo é tão inventado que talvez eu esteja diante da maior invenção minha: a vida. a minha vida.

e aí, se eu não quero mais nada disso, não quero mais nada tambem.

morte cerebral.
morte espiritual.
morte sentimental!


e mesmo depois disso, alguém me diz: "Maria, isso é o mundo".

0 Comments:

Post a Comment

<< Home