Tuesday, May 15, 2007

a todos os santos.

-saúde!
-mas, eu nem espirrei.
-mas ia.
-É. Agora perdi.

É que faz um ano. E eu nem ia perceber se alguém não tivesse dito: hoje foi o dia em que. Faz um ano. E eu na estrada escura e nublada (sem metáforas) vinha dizendo meio baixo, pra ter certeza de que só eu ia escutar, que acho que vou criando coisas por aqui, vou desenvolvendo coisas e que isso dá medo.
Eu dizia, talvez eu esteja hoje chegando perto de minha proposta, mas cada vez que me sinto mais presa a uma proposta que eu mesma criei, acho estranho, tenho medo.
Faz um ano.
É que eu tenho medo de muitas coisas, sabe?

Não parece.

Eu vi o mar. não senti nada, chorei diante de minha insensibilidade.
É que tem dias em que se está de pedra.
E hoje aquele mar preto e a areia dourada, irreais e sujos, me emocionaram tanto...
Aquela figura linda, que me deu vontade de chorar. Um homem, tão feminino, que me veio na janela e pediu dinheiro pra comer. Agradeceu a ele que deu o dinheiro e a mim, aos nossos orixás. Me tocou, me sorriu. Fiquei tão emocionada quanto a dias não ficava.
É que eu nem sei se tenho sentido.
Minto, de mim sei bem o que vem.
E as construções, e o cheiro a textura das paredes, e só das paredes do porto de Santos, meu deus, como eu senti a cidade antes mesmo de atravessar aqueles muros. E os navios. Quantos. Tantos. Lindos.

-Atchim!
-saúde.
(ela se assusta)
-obrigada.
(ele sorri)

É que nunca a gente está preparado.
E é que tem dias em que se está de pedra.
Minto.
É que eu nem sei.
Outro dia eu vi o mar.

2 Comments:

Blogger Carolina said...

a todos os santos obrigada por trazerem essa menina pra cá... e a salvo do pcc!!!! :P

7:22 PM  
Blogger Maria said...

:)

1:25 PM  

Post a Comment

<< Home