Monday, August 28, 2006

acordei devagarinho.
e resolvi muitas coisas hoje. Me pareceu um dia válido.
gora tomando banchá e olhando pra tela do computador, concluo que definitivamente foi um dia válido.
A casa está uma bagunça, mas Maria, santa Maria, virá amanhã. Fico esperando que ela me anime a lavar roupas.
Fui atendida por um moço simpático. segurei a porta para os velinhos. E não me senti mal nem uma vez.

Vi Hygiene ontem. Lindo, lindo. Admiro bastante o grupo. E penso que o processo deles (caetano disse que essa peça teve um de mais ou menos um ano e meio) deve ser bem interessante. Assim como quando vi a outra peça, agora também senti vontade de voltar a ter contato com o teatro, fazer algo com teatro. Talvez eu procure uma oficina, algo assim. Ontem cheguei até a considerar com muita animação fazer um curso de dublê. ia ser no mínimo engraçado.

São Paulo de uma certa forma tem me levado a encarar um certo tipo de gente. Uma classe média-alta patética sobre a qual sempre tive opiniões. Dói na maioria das vezes. A mediocridade humana ainda me dói queridos. Adriano acha que eu ainda acredito demais nas pessoas. Ontem saí do restaurante porque não aguentei ouvir a conversa da mesa ao lado. As vezes queria ser corajosa e maluca, pular em cima de uma pessoa daquelas. Mas, minha educaçao, talvez bem mais sábia que isso, me grita para apenas sair e resmungar sozinha do lado de fora.

Enfim, sinto falta do povo descontraído. De sair pra ouvir um samba na esquina sem ter que ser inteligente. Hysteria me trouxe até marchinhas de carnaval...quanto tempo não ouvia uma! Tenho sentido falta também das longas tardes sozinha no cinema. Mas pra isso basta (re)começar, não é mesmo?

1 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Fico imaginando quem será Blésq...que ao que diz, não faz parte desta classe-média patética e medíocre, ( mas tem fotos de Paris e Lisboa no blog...será Blésq da classe trabalhadora? )e flerta com a possibilidade de não acreditar nas pessoas, sentimento esse, que é a essência da crueldade desta classe-média medíocre que Blésq se dói, da ferocidade e isolamento incompreensíveis desta era, de uma escandalosa imoralidade fundamental do capital.
Blésq é no mínimo incoerente. E que bom, não? Ao menos Blésq é humana e parece que ainda acredita em si mesma, já que escreve textos bonitos e ás vezes quer ser maluca e corajosa... VEJA A DAMA NA ÁGUA!!

2:19 PM  

Post a Comment

<< Home